Malhou

  • Missa

    - Domingo, 12:00h | Igreja Paroquial

  • Sobre

    Malhou pertencia à freguesia de Nossa Senhora da Conceição, da Louriceira e terá sido instituída freguesia em 1593. Fez parte do concelho de Pernes extinto em 24 de Outubro de 1855, tendo então passado para o de Santarém, e em 8 de Maio de 1914 para o de Alcanena, aquando da criação deste. Hoje, a sua actividade reparte-se, sobretudo, pela indústria de cerâmica e de curtumes.

     

    É digna de registo a igreja paroquial seiscentista, ainda que tenha sofrido alterações. Na sua fachada lateral direita houve painel de azulejos que dizia ter sido a igreja feita na era de 1634. Mas assegura-se que esta era a data em que a sua pequena ermida fora acrescentada.

     

    O tecto do templo, de 50 caixotões, é pintado com ornamentação floral, a nave ostenta silhar de azulejos seiscentistas, azuis e amarelos do tipo padrão, e os retábulos dos altares são de talha dourada o maior, e pintada os laterais.

     

    De registar ainda a imagem da Santíssima Trindade, quinhentista, de pedra policromada e estofada, as imagens seiscentistas de S. Francisco de Assis e de S. João Baptista e as setecentistas de Nossa Senhora do Rosário e do Menino Jesus, três tábuas de fins do século XVI ou princípios do século XVII que terão pertencido ao retábulo de S. Vicente, e tela do Pentecostes, setecentista. Em frente do templo, um Cruzeiro de 1714.

     

    Finalmente, na capela de Santa Maria ou de Nossa Senhora das Candeias, em Chã de Cima, uma imagem do orago da capela, seiscentista, de barro policromado.