Chamusca

  • Missas

    - Quinta-Feira, 18:00h | Igreja Paroquial
    - Domingo, 11:00h | Igreja Paroquial

  • Sobre

    Data de 19 de Julho de 1597 a passagem da Chamusca a priorado, embora o seu foral fosse outorgado em 1561, durante a menoridade de D. Sebastião. Filipe III elevou-a a vila e doou-a a Rui Gomes da Silva, príncipe de Eboli, primo de Santa Beatriz da Silva, que muitas vezes aqui veio visitá-lo. A proeminência da Família Silva na Chamusca, regista-se também na igreja matriz, mandada edificar por D. João da Silva, em 1510, sob a invocação de S. Brás, que se tornou orago de toda a paróquia.

     

    A igreja matriz, de estilo manuelino, ostenta portal, constituído por um arco de volta perfeita, decorado por entrançado. Sobrepuja o portal o brasão dos Silva, donatários da igreja, que repousam na capela-mor em campa rasa.

     

    O interior do templo de uma só nave, está coberto por tecto de madeira de três planos e revestido por um silhar de azulejos verdes e brancos do século XVIII. A capela-mor tem abóbada de berço.

     

    Destaque também para as tábuas quinhentistas do Baptismo de Cristo, e Visão de S. Pedro em Jope que figurou na Exposição 2000 do Porto «CristoFonte de Esperança», imagens dos séculos XVII e XVIII, cálices e píxides da mesma época e paramentaria dos séculos XVI a XIX.

     

    De registar, ainda, o valor patrimonial, a nível de azulejaria, da ermida de Nossa Senhora do Pranto. Dos seus azulejos dos séculos XVII e XVIII, sobressaem os que forram a abóbada, a azul e branco, decorados com «jarras», e os figurativos que se encontram na capela-mor, representando a Circuncisão e o Menino entre os Doutores. Para além dos azulejos, há que mencionar a rica talha dourada e as imagens de Santa Ana e de S. Joaquim, policromadas, do século XVIII.

     

    Finalmente, uma referência às igrejas da Misericórdia, de S. Pedro e do Senhor do Bonfim, esta com ex-votos e púlpito dos séculos XVII ou XVIII, à capela de Nossa Senhora das Dores, com imagens e púlpito do século XVIII, e ao Edifício de S. Francisco que foi igreja da Ordem Terceira de S. Francisco.