Louriceira

  • Missa

    - Domingo, 10:30h | Igreja Paroquial

  • Sobre

    Situada ao longo do rio Alviela, são sobretudo, os curtumes a principal actividade económica da população de Louriceira. Segundo o Livro das Visitações da Ordem de Avis, de 1538, a sua ermida de Nossa Senhora da Conceição havia sido mandada construir pouco antes. E foi esta ermida que, mais tarde e em data que se desconhece, se tornou sede da paróquia. A ermida de S. Vicente, situada no caminho para o Malhou, já estava feita em 1516.

     

    Louriceira pertenceu ao concelho de Pernes, que foi extinto em 24 de Outubro de 1855. Por isso, a freguesia passou para o concelho de Santarém e depois para o de Alcanena, quando este foi criado em 8 de Maio de 1914.

     

    Digno de apreço é o seu património artístico constituído pela paroquial de tipo manuelino, ainda que adulterada por obras posteriores, com portais laterais manuelinos, silhar de azulejos seiscentistas, azuis e amarelos, e sete painéis cerâmicos de figura nas paredes da nave, baptistério e capela-mor de tectos artesoados e esta totalmente revestida de azulejaria seiscentista, retábulo setecentista do altar-mor, e altares colaterais também setecentistas de talha policromada, púlpito seiscentista, torre sineira datada de 1561 e imagens quinhentistas, de pedra, de S. Sebastião, S. Vicente, pintada, e Santa Luzia, pintada e estofada e ainda imagem, também de pedra e seiscentista, de Nossa Senhora da Conceição, e finalmente, custódia de campainhas de meados do século XVI.

     

    São também património muito apreciado os Olhos de Água do rio Alviela, a sua praia fluvial, e a conduta que leva as águas da nascente até Lisboa.