Olalhas

  • Missas

    - Sexta-Feira, 19:00h | Igreja Matriz
    - Domingo, 11:30h | Igreja Matriz

  • Sobre

    Situada no extremo Nordeste do concelho de Tomar e a confinar com o de Ferreira do Zêzere e a Diocese de Coimbra, é, geograficamente, a paróquia mais distante da sede da nossa Diocese.  A sua origem é muito antiga e o actual orago é Nossa Senhora da Conceição. Mas a igreja matriz também teve a designação, no século XVI, de Santa Maria da Olalha e Santa Maria da Piedade. Da Olalha, porque junto ao lugar do mesmo nome; de Santa Maria da Piedade, porque, quando foi edificada (1554), havia nesse local uma outra que se chamava Santa Maria da Piedade.

     

    Além desta, já existiam na freguesia de Olalhas as ermidas e oragos seguintes: S. Pedro, S. Martinho, Santa Sofia e Santo António.

     

    A igreja de Olalhas foi a primeira, após a das Pias, a que se deu licença para ter pia de Baptismo e que se pudesse nela fazer o ofício das Fontes na véspera da Páscoa. Para haver tal ofício, tinham que dar de comer ao clérigo que o viesse fazer e baptizar e cantar Missa de 15 em 15 dias, passando a pagar mais para haver Missa de 8 em 8 dias.

     

    Conta 11 lugares de culto, a saber: Olalhas: igreja paroquial e capela de Santa Luzia; Alqueidão: igreja de Santo António e capela de Nossa Senhora da Saúde; Montes: Santa Sofia; Cardal: Nossa Senhora da Purificação; Vale da Idanha: Nossa Senhora da Piedade; Pelinos (Aboboreira): Nossa Senhora da Penha; Vialonga: S. Pedro; Amêndoa: S. José; Carqueijal: S. João Baptista. Há 6 sacrários com o Santíssimo.

     

    O património artístico e cultural é bastante numeroso, valioso e variado. A igreja matriz, que data do século XVIII, está interiormente revestida de azulejos antigos e dotada de boa talha, imagens e alfaias. É, decerto, a mais bela e rica da zona rural do concelho de Tomar. À entrada, do lado direito, está afixada uma lápide que assinala a concessão da pia baptismal, pelo Infante D. Henrique, em 1460.