Atalaia

  • Missa

    - Domingo, 09:15h | Igreja Paroquial

  • Sobre

    Perde-se na bruma dos tempos a origem da povoação da Atalaia. Sabe-se, contudo, que logo nos primórdios da nacionalidade foi conquistada aos Mouros, por D. Afonso Henriques, facto que atesta a sua importância de então.

     

    Vindo a ser sede de um condado, exerceu uma dilatada influência na porção de terra circundante e povoações limítrofes. Contemplada com três forais, concedidos por D. Afonso II, D. Dinis e D. Manuel I, tais honras e privilégios são sinal da importância que teve no contexto da Idade Média.

     

    Presentemente, a Atalaia pauta-se como povoação em acelerado crescimento e modernidade, no que toca ao tecido urbano.

    No domínio do património religioso, Atalaia assume digno relevo, pois a sua igreja matriz é um belo templo quinhentista, mandado construir entre 1514 e 1528 por D. Pedro de Meneses, conde de Cantanhede e donatário do condado da Atalaia. Tem este templo, como motivos de interesse, a riqueza da arquitectura, o esplendor do pórtico renascença, os sumptuosos painéis de azulejaria do século XVII, com representações bíblicas, e ainda, bem dignos de admiração, a imagem da padroeira, magnífica peça escultórica atribuída a Diogo Pires (o Velho) da escola de Coimbra, bem como o túmulo do Cardeal Patriarca D. José, cujos restos mortais ali repousam.

     

    Enumera-se ainda, neste âmbito, como merecedora de real atenção, a capela do Senhor Jesus da Ajuda, pequeno templo rústico edificado num morro sobranceiro à Vila, aonde muito acorre a devoção popular.