Nota episcopal sobre batismos, casamentos e funerais

Nota episcopal sobre batismos, casamentos e funerais
Evitar os grandes ajuntamentos de pessoas

Caros Padres e Diáconos

 

A suspensão da celebração comunitária da Santa Missa pela Conferência Episcopal Portuguesa (que não suspende a celebração privada), responde ao que toda a sociedade deve fazer: evitar os grandes ajuntamentos de pessoas.

 

Neste sentido, é aconselhável prudência, compreensão e adaptações no espaço litúrgico no respeitante aos sacramentos marcados de Batismos e Matrimónios. Certamente, nenhuma família com sentido de responsabilidade estará interessada em fazer da festa uma oportunidade para a propagação de um vírus não controlado. Assim,  sob a orientação do Pároco, não se juntem muitas pessoas no espaço litúrgico da igreja; isso contraria o espírito do Comunicado da CEP e não é prudente.

 

Quanto aos velórios, a prudência que se pede às famílias é muito importante. Não conseguimos garantir o controlo absoluto da desinfeção da Capela ou Casa mortuária, por isso, é necessário informar as famílias enlutadas desta situação para que, com discernimento, façam a gestão do tempo e da aproximação de pessoas.

 

Para o acompanhamento e celebração de Exéquias nos Funerais, peça-se igualmente aos familiares enlutados compreensão para a situação de emergência em que nos encontramos. Pode haver uma oração na origem, mas que a celebração da Palavra e as várias orações aconteçam no cemitério (ou crematório). O Pároco pode informar aos familiares de luto qual o dia em que celebrará Missa privada por intenção seu familiar falecido. 

 

Continuemos, rezando uns pelos outros e pelo povo de Deus, a quem servimos como pastores.

 

Santarém e casa episcopal, 14 de março de 2020

+ José Traquina, Bispo de Santarém

Sábado, 14 de Março de 2020