Carta do Bispo da Diocese

Carta do Bispo da Diocese
Novo ano pastoral tem como objetivo principal «anunciar o Evangelho com as famílias e os jovens»

Objetivo principal:   Anunciar o Evangelho com as Famílias e os Jovens

 

No início do novo ano pastoral 2021-2022, o Bispo de Santarém D. José Traquina assinala na Carta Pastoral deste ano sobre a missão da Igreja do ponto de vista social, concretizada nas paróquias e movimentos, “funcionaram” as IPSS, a Cáritas Diocesana e os serviços paroquiais da pastoral socio-caritativa, e “muitos cristãos mantiveram discretamente um apoio voluntário na ação social a quem necessitava de apoio”.

No contexto da pandemia Covid-19, D. José Traquina refere que, “entre dificuldades e limitações”, desenvolveram-se modalidades novas de comunicação e encontro, nomeadamente o uso das plataformas digitais que “tende a continuar em simultâneo com a comunicação presencial”, no novo ano pastoral 2021/2022.

“As crises são desafios para a Igreja se redescobrir na sua vocação e missão. São oportunidades para revelar quem somos e o que somos capazes de fazer para assumir novo testemunho em tempo de mudança de época”, acrescentou.

O novo ano pastoral na Diocese de Santarém tem como objetivo principal ‘anunciar o Evangelho com as famílias e os jovens’, e é o terceiro de um projeto pastoral de seis anos que vai levar esta Igreja local até ao cinquentenário da sua criação, que se comemora em 2025.

Na sua carta de início de ano pastoral, D. José Traquina também faz sugestões às “paróquias em pós pandemia”, sobre a catequese, a pastoral juvenil e todos os movimentos e ações de espiritualidade e apostolado – “a serenidade confiante e procurar fazer bem, com empenho e qualidade” – e explica que a preocupação deve estar “mais assente na qualidade das propostas, do que na quantidade dos participantes”.

Sobre a liturgia, salienta que a Missa dominical “é o momento mais convergente de concentração dos cristãos na paróquia” e sugere “renovado empenho na qualidade das celebrações da Eucaristia”, desde a limpeza e decoração do espaço, até ao “cuidado indispensável” de preparação de todas as pessoas intervenientes.

No âmbito da ação social ou socio-caritativa, o bispo de Santarém afirma que “constitui um testemunho da comunidade celebrativa”, e, nesta altura, “acresce o cuidado por novas situações de isolamento e solidão, dificuldades económicas e o apoio possível a migrantes estrangeiros”.

O bispo de Santarém também reflete sobre o caminho sinodal, a vocação e lembra que a “vida cristã é vocação a uma vida com missão”; A diocese propõe como santos de referência 2021/2022 a Rainha Santa Isabel de Portugal, o padre franciscano São Maximiliano Maria Kolbe e o jovem beato Carlo Acutis.

Sexta, 10 de Setembro de 2021