Vigília Pascal na Sé

Vigília Pascal na Sé
“Jesus Cristo não é apenas uma figura histórica do passado, faz parte do nosso tempo presente“ - D. José Traquina

O bispo de Santarém afirmou que a informação de que Jesus ressuscitou “é explosiva”, um estar vivo “numa nova ordem, uma nova habilitação existencial”.

“A ressurreição de Jesus não é um voltar à vida neste mundo para mais tarde voltar a morrer. Trata-se de estar vivo para sempre, não igual ao que era antes, mas numa nova ordem, uma nova habilitação existencial, uma vida completamente nova”, disse D. José Traquina na Sé de Santarém.

Na homilia da vigília Pascal, o bispo de Santarém evocou as “multidões de homens e mulheres” que afirmaram que Jesus Ressuscitou porque “escutaram a sua Palavra, acreditaram nele”.

“Tornou-se ainda mais acessível pela escuta da sua Palavra que, desde então ressoa na sua comunidade e, extensivamente, pelo testemunho que os cristãos podem dar em família ou por proposta a alguém que queira conhecer Jesus”, desenvolveu.

D. José Traquina assinalou que a experiência da vida à luz da fé em Cristo Ressuscitado leva “para além da historicidade dos factos” e explicou que Jesus Cristo “não é apenas uma figura histórica do passado” mas faz parte do tempo presente, a quem confiam os “segredos mais íntimos”.

“Também nós, se estamos aqui nesta Vigília, decerto, é porque fizemos a experiência da fé, do encontro com Cristo vivo”, observou.

O bispo de Santarém indicou que acreditando na palavra de Jesus e “pedindo o batismo na sua morte e ressurreição” se pode participar da “vida nova” que os apóstolos e outros discípulos passaram a viver e a testemunhar.

adaptado de Agência Ecclesia

Segunda, 5 de Abril de 2021