Tomada de Posse dos órgãos sociais da UMP

Tomada de Posse dos órgãos sociais da UMP
Evento decorreu em Fátima

União das Misericórdias Portuguesas

Tomada de posse dos Órgãos Sociais

Fátima, 7 de Dezembro de 2019

 

 

Saudação

Presidente da Mesa da Assembleia Geral da União das Misericórdias Portuguesas: Dr. José da Silva Peneda

Presidente do Secretariado Nacional da UMP: Dr. Manuel Lemos

Todos os membros dos Corpos Sociais da União,

todos os representantes das Santas Casas da Misericórdia

e todas as entidades presentes.

 

Em meu nome e em nome de todos os membros da Conferência Episcopal Portuguesa, manifesto o grande apreço por todo o bem promovido pelas Santas Casas da Misericórdia e pela União das Misericórdias Portuguesas. Canonicamente, são Associações de Fiéis votadas a uma causa do mais justo e mais santo que pode haver, pois não há nada de mais justo e mais santo do que cuidar da pessoa humana, seja ela quem for.

 

Porém, para manter este cuidado, os tempos configuram-se economicamente preocupantes, para as Santas Casas da Misericórdia e outras Instituições de Solidariedade Social. Desejo e espero que impere o bom senso, a justiça e o princípio do bem comum. Entendido o “bem comum”  como o bem de todas as pessoas, que inclui as suas instituições onde elas se reveem, com as quais se identificam e com as quais se sentem mais seguras.

 

É desejável, portanto, que os respetivos Ministérios do Governo acompanhem a preocupação instalada nas Instituições sociais. Promova-se o diálogo, reconhecendo que tudo deve acontecer com sentido de responsabilidade e segundo os princípios de cooperação, lealdade e transparência.

 

Entretanto, o “bem comum” supõe, também, uma cultura de solidariedade e participação. As instituições sociais não ferem os seus princípios se ajudarem a cultivar, na sociedade, o princípio e o dever da solidariedade.

 

Muitos, porque pagam impostos, consideram que isso lhes basta. Porém, uma sociedade solidária e em desenvolvimento pede mais do que isso. Requer que nos interessemos todos pelo bem comum, superando a cultura que tende a acentuar-se, do individualismo e da indiferença. Uma sociedade em que todos somos responsáveis por todos. Neste sentido, farão bem as Santas Casas e Instituições sociais se promoverem maior dinamismo na edificação de uma sociedade mais solidária, acolhedora e generosa.

 

A missão é de serviço. Pode acontecer que alguém confunda missões de serviço à comunidade, como lugares de poder sobre os outros. Não é esse o espírito que se retoma na cerimónia da tomada de posse dos Órgãos sociais, com a proclamação das 14 Obras de Misericórdia.

Na verdade, o espírito é outro: a grande recompensa de quem promove o bem, é a alegria pelo bem que promove.

 

Dr. Manuel Lemos e todos os membros dos Corpos Sociais da União das Misericórdias Portuguesas, Deus abençoe os vossos bons propósitos de bem fazer e vos conceda a saúde, a inspiração e os melhores êxitos para a missão do novo mandato.

 

 

+ José Traquina,  Bispo de Santarém

e Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana