São Pedro e São Paulo

São Pedro e São Paulo

Início
29/06/2020 00:00

Solenidade de São Pedro e São Paulo, Apóstolos. Simão, filho de Jonas e irmão de André, foi o primeiro entre os discípulos a confessar que Jesus era Cristo, Filho de Deus vivo, por quem foi chamado Pedro. Paulo, o Apóstolo dos gentios, pregou Cristo crucificado aos Judeus e aos Gregos. Ambos, na fé e no amor de Jesus Cristo, anunciaram o Evangelho na cidade de Roma e morreram mártires no tempo do imperador Nero: Pedro, segundo a tradição, foi crucificado de cabeça para baixo e sepultado no Vaticano, junto à Via Triunfal; Paulo morreu ao fio da espada e foi sepultado junto à Via Ostiense. O triunfo dos dois Apóstolos é celebrado neste dia com igual honra e veneração em todo o orbe da terra.

Nota Histórica

Desde o século III que a Igreja une na mesma solenidade os Apóstolos S. Pedro e S. Paulo, as duas grandes colunas da Igreja. Pedro, pescador da Galileia, irmão de André, foi escolhido por Jesus Cristo como chefe dos Doze Apóstolos, constituído por Ele como pedra fundamental da Sua Igreja e Cabeça do Corpo Místico. Foi o primeiro representante de Jesus sobre a terra. 
S. Paulo, nascido em Tarso, na Cilícia, duma família judaica, não pertenceu ao número daqueles que, desde o princípio, conviveram com Jesus. Perseguidor dos cristãos, converte-se, pelo ano 36, a caminho de Damasco, tornando-se, desde então, Apóstolo apaixonado de Cristo. Ao longo de 30 anos, anunciará o Senhor Jesus, fundando numerosas Igrejas e consolidando na fé, com as suas Cartas, as jovens cristandades. Foi o promotor da expansão missionária, abrindo a Igreja às dimensões do mundo. 
Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão de fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! 
Depois de ambos terem suportado toda a espécie de perseguições, foram martirizados em Roma, durante a perseguição de Nero. Regando, com o seu sangue, no mesmo terreno, «plantaram» a Igreja de Deus. 
Após 2000 anos, continuam a ser «nossos pais na fé». Honrando a sua memória, celebremos o mistério da Igreja fundada sobre os Apóstolos e peçamos, por sua intercessão, perfeita fidelidade ao ensinamento apostólico.

EVANGELHO Mt 16, 13-19 
«Tu és Pedro e dar-te-ei as chaves do reino dos Céus» 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 
Naquele tempo, 
Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe 
e perguntou aos seus discípulos: 
«Quem dizem os homens que é o Filho do homem?». 
Eles responderam: 
«Uns dizem que é João Baptista, 
outros que é Elias, 
outros que é Jeremias ou algum dos profetas». 
Jesus perguntou: 
«E vós, quem dizeis que Eu sou?». 
Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: 
«Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo». 
Jesus respondeu-lhe: 
«Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, 
porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, 
mas sim meu Pai que está nos Céus. 
Também Eu te digo: Tu és Pedro; 
sobre esta pedra edificarei a minha Igreja 
e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. 
Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: 
tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, 
e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus».