SÃO JOSÉ REFERÊNCIA DA PATERNIDADE

SÃO JOSÉ REFERÊNCIA DA PATERNIDADE

SÃO JOSÉ REFERÊNCIA DA PATERNIDADE

Sem comentários em SÃO JOSÉ REFERÊNCIA DA PATERNIDADE

Celebramos com alegria e em ação de graças a festa do nosso padroeiro São José. Foi-lhe confiado o cuidado dos maiores tesouros de Deus – Jesus e Maria. Por isso lhe pedimos que, assim como protegeu a primeira família de Jesus, assim proteja hoje a Igreja, a grande família dos discípulos do Senhor, que peregrina pelo mundo no meio de perigos e dificuldades até chegar à morada eterna de Deus. A ligação de São José aos inícios da história cristã explica que seja venerado como Patrono da Igreja Universal e padroeiro de muitas comunidades locais.

Atualmente, na nossa sociedade, a festa de São José é bastante relacionada com a paternidade. É o dia em que mostramos aos nossos pais reconhecimento e gratidão, oferecendo-lhes uma lembrança se são vivos, ou uma oração se já partiram para Deus. Nas escolas e na catequese, as crianças preparam lembranças para manifestar o afeto e a admiração pelos pais. O nosso padroeiro São José evoca assim a beleza e o encanto da paternidade. Deus confiou-lhe uma missão pessoal que ele desempenha com sentido de fé e com responsabilidade. Oferece-nos, deste modo, uma perspetiva elevada e admirável da paternidade espiritual. Consideremos então o exemplo concreto que apresenta para o nosso tempo.

1.A família como missão.

Deus confiou, em sonho, a São José que recebesse Maria por esposa e cuidasse do Filho que ela daria à luz. Permanece um mistério esta forma de comunicação de Deus mas José entendeu. E respondeu prontamente e com total confiança no Senhor. Não conhecemos nenhuma palavra de José mas, em várias ocasiões, os evangelhos narram a sua obediência pronta à vontade que Deus lhe dá a conhecer. Mostra-se um homem silencioso mas de atitudes e gestos eloquentes. Podemos considerá-lo, depois de Maria, o mestre e modelo de vida interior. A sua riqueza espiritual, feita de silêncio orante e atento, permite-lhe escutar e entender os sinais de Deus.

O perfil deste santo é apresentado com duas expressões: homem justo e servo fiel. O significado de “Homem Justo” devemos entendê-lo no sentido da segunda leitura colhida da carta do Apóstolo São Paulo aos romanos: acolhimento confiante do chamamento de Deus, retidão interior e simplicidade, respeito para com Deus e para com os homens. A expressão “Servo fiel”, por sua vez, diz-nos que assumiu com responsabilidade o pedido do Senhor e se entregou ao cuidado e ao acompanhamento daqueles que lhe foram confiados.

Nestes tempos em que procuramos dar atenção e apoio à família para que seja uma comunidade de afeto estável e fiável, São José convida-nos a considerar a união matrimonial como uma missão que Deus confia aos cônjuges e aos pais. Não é apenas a realização de um sonho ou o assumir de um projeto. Na base desta realidade, entendida à luz da Sagradas Escrituras, está uma missão que Deus confia e para cujo desempenho concede a graça sacramental que assiste fortalece e apoia a família em todas as dificuldades. O sacramento confere a força espiritual e a graça do Espírito Santo que capacitam para realizar o projeto cristão da família. Não contamos apenas com as nossas capacidades sempre limitadas para levar avante a missão que é confiada pelo matrimónio cristão. Contamos também com a graça de Deus que nos ilumina e fortalece quando nos abrimos à fé e invocamos o auxílio divino.

Vivido com sentido de missão, o projeto da vida de família é uma boa nova com beleza e alegria, com entrega às responsabilidades e ao cuidado mútuo. Este espírito de missão ajuda a ultrapassar as provações, os momentos de crise e a fortalecer a união e a alegria em família.

  1. A Paternidade espiritual

São José é referência da paternidade no sentido amplo e profundo que nos apresenta a Carta aos Romanos ao falar da paternidade de Abraão. Esperando contra toda a esperança, Abraão acreditou tornando-se pai de muitos povos. Assim teve uma grande descendência da qual todos nós crentes somos herdeiros. São José é filho de Abraão na medida em que vive a fé com a mesma confiança e obediência e torna-se, como ele, fonte de paternidade espiritual.

O desejo de paternidade, o anseio de que a vida de cada um dê fruto que permaneça, tenha continuidade e perdure para além da nossa peregrinação, é um sonho profundamente humano. Mas a verdadeira paternidade não se reduz à dimensão biológica. É também espiritual, moral, cultural, social. É esta dimensão ampla que são José nos propõe. É o seu cuidado, apoio e proteção que criam condições para que Jesus cresça em idade, em sabedoria e em graça diante de Deus e dos homens. A paternidade de São José traduz-se no afeto, no acompanhamento, na doação e, sempre que necessário, também no sacrifício. Pela paternidade integra Jesus na continuidade das promessas de Deus ao longo das gerações, designadamente a Abraão a David. Assim realiza o que proclama o salmo: “A sua descendência permanecerá eternamente”.

A memória de São José realça, deste modo, a beleza e a riqueza da paternidade na transmissão da vida e dos valores, no cuidado pelo desenvolvimento pleno dos filhos, tanto no corpo como no afeto, na cultura, na relação com a vida e com os outros. Por isso, ao celebrarmos a memória de São José apresentamos as nossas saudações e mostramos a nosso reconhecimento a todos os pais e pedimos a São José que os proteja e inspire na sua missão de promover a alegria do amor em família.

Back to Top